O Retorno…

28 07 2013

Leia o resto deste artigo »





Crônica do Amor Próprio !!

19 08 2012

Que noite de amor maravilhosa…
Filminho no vídeo, taça de vinho na mão. Um sonzinho bacana rolando. Relax total.
Sem ansiedade, me sentia preenchida. Ao mesmo tempo, tranqüila.
Não tinha motivos para brigar, não tinha motivos para cobrar, não tinha expectativas frustradas.
Me sentia completa.
Éramos apenas um: eu.





Em que pele eu habito?

1 04 2012

Se não achei o príncipe encantado, vou transformar o sapo em um. Levante a mão quem nunca embarcou nessa. Mulheres, e homens também, geralmente tentam moldar seus pares ao seu bel prazer, à imagem e semelhança de quem gostariam que eles fossem. E isso é de uma violência atroz para o outro, que se sente sempre “errado”, oprimido, fora de lugar, atuando dentro de um personagem que não ele próprio.

O fato, tão comum nos relacionamentos, é colocado de maneira caricatural em “A pele que habito”, de Pedro Almodovar,um médico transforma o estuprador da própria filha na mulher de seus sonhos (sua já falecida esposa).

É incrível nossa capacidade de sublimar a pessoa que está na nossa frente e nos iludir que ela é quem a gente queria que fosse, de modo a preencher nossos desejos e expectativas. Só que o resultado de qualquer ilusão criada por nós mesmas é frustração. E é esse o sentimento que sempre vem quando abrimos mão de distorcer a realidade e finalmente enxergamos quem verdadeiramente é a pessoa que está conosco. Aí, o que geralmente ocorre é que culpamos o outro pela nossa própria frustração de ter descoberto o óbvio: o que ele sempre foi.

Na verdade, você é a responsável por não querer ver quem realmente era a pessoa que estava ao seu lado todo este tempo. Para evitar frustrações, mais fácil trocar a sua pele do que a pele do outro.





É necessário mais do que esforço para ser feliz!

11 03 2012

Por favor, leia o título acima novamente, e com muito cuidado. Ele não diz: “É necessário esforço para ser feliz”. Ele diz “É necessário mais do que esforço para ser feliz”. Ah…. A diferença que algumas palavras fazem! Diariamente, milhares – ou talvez milhões ­– de pessoas acordam pela manhã dispostas a fazer alguma coisa em prol de sua felicidade. Trabalham, estudam, cuidam de suas famílias, dormem pouco, acordam cedo, enfrentam o trânsito, participam de reuniões e projetos estressantes, cuidam da casa, dão banho em seus filhos, preparam a comida e outras coisas mais. Acreditamos que, se trabalharmos bastante, se entrarmos em ação de forma árdua, as recompensas virão. A questão, porém, não está relacionada à palavra “trabalho”. Está relacionada à palavra “árduo”.
Claro que algumas coisas dão trabalho árduo e sempre darão. Contudo, o trabalho árduo, levado ao extremo equivale a bater nossa cabeça contra uma parede de concreto e esperar que ela quebre para que então possamos atravessá-la. Podemos atravessar uma parede de concreto e atingirmos nosso objetivo usando a cabeça como marreta? Talvez. Mas será que não existem maneiras mais inteligentes de fazer isso?
Infelizmente, e com frequência, as pessoas sentem que o trabalho árduo e o sacrifício são necessários para que possam conquistar aquilo que desejam. O que poucos sabem é que o que realmente precisamos fazer é trabalhar de forma inteligente, e não árdua. Quando uma pessoa entende os fundamentos do sucesso e da felicidade, ela começa a trabalhar de forma inteligente e a obter mais resultados.
Cinco coisas que você pode fazer para ampliar sua felicidade de forma inteligente:
1) Tenha um plano. Muitas pessoas gastam mais tempo planejando um churrasco do que suas próprias vidas. Você definiu suas metas de vida? Então responda: Quais serão suas conquistas daqui a 5, 10 ou quem sabe 20 anos?
2) Desenvolva sua comunicação. Talvez você não saiba, mas seus resultados estão diretamente ligados à sua habilidade de se comunicar. Ser um comunicador envolve várias coisas, tais como: estabelecer um excelente grau de empatia, ser capaz de negociar, resolver conflitos, ser assertivo e influenciar.
3) Controle dos estados emocionais. É fácil entender a importância que as emoções exercem sobre nossos comportamentos. Mas será que todos sabem controlar seu cérebro e acessar estados emocionais fortalecedores?
4) Reinvente-se. O que você acredita que pode ser, fazer e ter? Nada pode limitar suas realizações e conquistas, a não ser você mesmo! Muitas pessoas na história que contavam com muito mais desvantagens do que vantagens realizaram feitos enormes. O que o impede de conquistar seus sonhos e ser próspero e abundante? Nada, a não ser sua mente!
5) Estude a psique. Neste exato momento, uma enorme revolução científica está mudando tudo o que se sabe sobre o cérebro. Seus comportamentos, suas emoções e, por consequência, seus resultados, estão diretamente ligados ao quanto você sabe utilizar seu cérebro. É mais simples do que você imagina, e ainda pode ser muito divertido.
Ao fazer essas 5 coisas, você começará a trabalhar de forma inteligente e descobrirá que os resultados virão mais cedo e mais completos. Trabalhe de maneira inteligente, viva mais, amplie sua qualidade de vida e seja feliz. Comece hoje!





Meu sumiço!!

6 11 2011

Estou sem tempo de pensar sobre relacionamentos. Por isso o gap tão grande entre um post e outro neste blog. Daí, parei pra refletir: será que a falta de tempo de pensar sobre relacionamento indicaria a superação de uma fase?

Talvez sim. Talvez a necessidade de pensar sobre relacionamentos e alimentar conflitos internos a respeito deles seja uma estratégia de autoconhecimento. Porque quando você pensa sobre relacionamentos está, na verdade, pensando sobre si mesma e como você lida com suas emoções. Portanto, quando você dá um tempo e diminui a necessidade de pensar sobre isso, talvez seja porque você já adquiriu conhecimento suficiente sobre as emoções. Vamos passar para a próxima matéria, então, sobre a qual eu desconheço?

Talvez não. Talvez apenas indique que você está estável neste momento, sem grandes conflitos. Mas, a qualquer momento, o turbilhão de questionamentos pode voltar.

Talvez seja o contrário. Neste caso, não querer tocar no assunto talvez seja uma forma de fugir do tema porque não quer encarar um possível conflito e está acomodada. Assim, melhor deixar quieto e não se mover.

Quem sabe? Ninguém. A gente sempre só opina. Se fosse matemática, não existiriam tantos blogs e posts divagando sobre o assunto. Mas, no final, eu acabei me rendendo e pensando, mais uma vez, sobre o tema neste post. Olha só!





A importância da solidão a dois !

7 08 2011

Não agüento essa gente que faz uma de a ser sozinho e às vantagens da solteirice. Quem disse que a gente não pode estar sozinho e optar por abraçar a solidão um dia ou outro mesmo tendo um namorado? Aliás, essa deveria ser a busca de todas nós: conseguir manter a individualidade, a conversa íntima consigo mesma, mesmo que o nosso amor esteja na sala e a gente no quarto. Aliás, mesmo que os dois estejam sentados no sofá, juntinhos. Isso é essencial para a gente se manter íntegra, em contato com a gente mesma, e estruturada.

Ter consciência de que o casal são dois seres andando lado a lado e trocando experiências, que não viraram gêmeos siameses só porque namoram, é o segredo para uma relação dar certo, aliás.

É uma falácia essa história de que só quando a gente está solteiro dá para chegar em casa, colocar um som gostoso, abrir uma latinha de qualquer coisa e ficar ali sem ninguém encher o saco, e sem a obrigação de telefonar pra dar satisfação. Isso é idealização, aliás. A gente só vê glamour nessa cena quando estamos namorando. Porque se a gente está solteira, muito provavelmente, chega em casa e fica ligando desesperadamente para todas as amigas pra preencher a nossa carência afetiva. Ou, vamos, sim, ligar o som e abrir a latinha de qualquer coisa. Mas em vez de fechar os olhos e viajar no som, ficamos viajando no tempo (passado), nostálgicas, lembrando dos bons momentos com nossos ex.

Eu namorei durante muito tempo e, ainda assim, tinha vários dias que optava por ficar em casa, ouvindo um som gostoso e bebendo sozinha, só com a minha deliciosa companhia! Ninguém me impedia de fazer isso.

Tudo depende da relação que se estabelece. Se você embarca na dependência, na possessividade e na obrigação, é claro que o namoro vira um inferno. Mas, veja bem, ter compromisso com alguém é diferente de ter “obrigação” de estar com essa pessoa. É o casal que estabelece a dinâmica do relacionamento. Por que TEM que se falar todo dia? Por que TEM que se ver todo final de semana? E se nesse fim de semana eu quiser ficar sozinha, estiver mais introspectiva e precisando conversar com meus botões? Tá, o outro pode precisar de você, ficar triste, mas aí vai de você bancar sua atitude e não se deixar afetar. “Esse momento será mais importante a longo prazo pra nós dois do que sua carência momentânea, querido. Não serei uma boa companhia hoje, meu bem, entenda”, você pode dizer. Ou pode não dizer nada. Ele vai ficar triste, mas na segunda-feira, você vai compensar tudo, estará carinhosa como sempre e ele vai ver que está tudo bem. Você só não quer seguir o script que holywood e as novelas da Globo ditam. Talvez (e é bem possível) que ele até te ache mais interessante por isso. Se você se achar mais interessante por isso, já tá valendo.

Outra coisa: o amor não precisa ser brega, nem meloso, nem piegas. Recorrer às tradições pode ser mera falta de criatividade. Ficar tirando sarro disso é invejoso e superficial…O jeito é dar uma fugidinha com você!





Esperanças !!

17 07 2011

Quantas coisas a gente perde por não saber esperar. O contrário da esperança é a ansiedade, que tem base no medo de não conseguir. Por não querer perder tempo, recorremos ao tudo ao mesmo tempo agora, que embota a reflexão.
Então o pensamento livre é interrompido, e seria ele o que daria fruição pra boas coisas acontecerem. A gente se impõe à vida, e não deixa rolar. Recorremos ao imediatismo, e optamos pelo mais rápido, em geral mais fácil. E por ser menos elaborado, fica mais superficial e rasteiro.

Quantas vezes você fala e se antecipa ao que pode ouvir. Assim, mudando o rumo dos acontencimentos. Você troca de “paquera” por falta de paciência pra ver no que vai dar. Por intolerância, impede que o outro se transforme no que tem potencial, de repente, pra se tornar. Poderia vir a ser o príncipe que você tanto almeja, mas a pressa obscurece a visão, e passa por cima do que ele ainda iria te mostrar.

Quantas vezes você opta por um curso em vez de outro porque esse te dará resultados mais rápidos, porém menos grandiosos. Quantas vezes você julga antes de deixar que a pessoa do lado de lá te surpreenda.

A ansiedade é contrária ao aprendizado. Você quer fazer mais do que absorver o que já foi feito, coisas que poderiam te dar estrutura pra fazer melhor.

A esperança foi atropelada pela angústia da produção instantânea, da fast food, da fast life, do fast love. O rápido é inimigo do duradouro. A agilidade, muitas vezes, inimiga da sabedoria.